carregando vinho

Château Chassagne-Montrachet Domaine Bader-Mimeur Chassagne Montrachet AOP 2015
De safra ensolarada e plena, um exemplar Chassagne-Montrachet, village originário dos vinhos brancos mais complexos do mundo.

Château Chassagne-Montrachet Domaine Bader-Mimeur Chassagne Montrachet AOP 2015
De safra ensolarada e plena, um exemplar Chassagne-Montrachet, village originário dos vinhos brancos mais complexos do mundo.

Frete Grátis*

Compra 100% segura!

Selos e premiações

Harmonize com

Unidade

De: R$ 1.020,00Por: R$ 499,90ou X de

Economia de R$ 520,10

Caixa

6 unidades / 6% de desconto /1

De: R$ 1.020,00Por: R$ 499,90ou X de

Economia de R$ 520,10

Comprar

Frete Grátis*

Compra 100% segura!

Características

Sobre o produto

Os vinhos que levam o nome Montrachet são considerados os melhores brancos do mundo há séculos.

A história remonta à idade média, quando os monjes benedictinos habitavam as colinas da Borgonha e começaram a aprofundar na viticultura na busca dos melhores terroirs.

Nenhum único vinhedo rendia vinhos tão complexos e profundos quanto os da Grand Cru Montrachet, tanto que o nome foi utilizado para batizar os villages de Puligny-Montrachet e Chassagne-Montrachet e seus vinhedos em volta.

Sempre brancos, a base de Chardonnay, os vinhos da Chassagne-Montrachet e Puligny-Montrachet são de cor dourado, salpicados de esmeralda, escurecendo para amarelo com a idade.

São vinhos incrivelmente longevos, com a possibilidade de melhorar na guarda por no mínimo 10 anos, às vezes até 40 ou 50 anos, nos casos dos vinhos Premier e Grand Cru!. Isso mesmo! Quase nenhum outro vinho branco possui uma vida tão longa.

O Château Chassagne-Montrachet é um produtor com séculos de história nesta pequena colina. Em 2015, uma das melhores safras da última década em Borgonha, ofereceu um vinho opulento e cheio de textura.

Ao degustar (após um longo descanso em decanter) percebemos notas florais, com especiarias doces como cardamomo, uma riqueza de mel, cera de abelha.

Em boca sentimos uma licor de fruta de conde, amêndoas cruas, cera de abelha, mel, própolis, jaca madura, uma gama incrível de frutas tropicais que remetem à Mata Atlântica, apesar do vinho vir das colinas da Borgonha. Evolui para caju, um melzão, com traços de barrica de carvalho, das próprias florestas da região (o carvalho mais valioso do mundo).

Este um vinho para decantar por duas horas antes servir ou deixar na adega por 10-15 anos.

Servir em temperatura mais alta do normal, o frio não faz bem para os vinhos de Montrachet, que precisam de temperaturas ambientais, entre 15° - 18°, para mostrar todas suas nuances.

Para harmonizar com os pratos mais opulentos de nobres, desde foie gras de pato com torradas, lagosta na manteiga, garoupa assado em folha de banana, ou camarões grandes a la plancha.

História

Desenvolvido por Mktnow