QUINTA DA COVELA AVESSO EDIÇÃO NACIONAL 2020

Minho, Portugal
Minho, Portugal

QUINTA DA COVELA AVESSO EDIÇÃO NACIONAL 2020

Vinho Verde de uma das mais raras variedades do mundo, em uma versão elegante e bem equilibrada.

Selos e premiações

  • bestSellers
  • AD 91
  • AK 91

Harmonize com

  • PeixesPeixes
  • Frutos do marFrutos do mar
  • QueijosQueijos

Avise-me

Teor Alcoólico

12.50%

Temperatura

10.00 °C

Uva/Corte

  • Avesso

Sobre o produto

A Quinta de Covela está localizada na sub-região de Baião, numa área de solo granítico na margem direita do rio Douro, na zona austral da Região de Vinho Verde (Minho).


Nessa área, a grande estrela das uvas brancas é a Avesso, casta autóctone usada para elaborar vinhos varietais sofisticados e aromáticos.


Suas vinhas, desde 2006, são cultivadas pela agricultura biológica (orgânica, no português de Portugal) e na adega não se utiliza nada de origem industrial, sendo as fermentações espontâneas.


A Edição Nacional é elaborada com 100% Avesso, uma uva pouca difundida como mono-casta, com resultados incríveis nas mãos de um produtor adepto.


Com colheita e seleção manual das uvas, após a seleção e desengace há uma prensagem suave e a fermentação acontece de forma espontânea em cubas de aço. E, para finalizar, o vinho amadureceu por mais 3 meses em contato com leveduras finas.


Apresenta cor amarelo palha brilhante, aromas frescos com leve presença mineral, cítrica e floral.


Em boca é seco e elegante com acidez bem equilibrada. Tem corpo e profundidade de sabor, com uma cremosidade, uma sedosidade, que nos lembro dos grandes Godello de Valdeorras ou até um pouco a Chardonnay da Borgonha. Traços de mel, nuances cítricos e uma longa persistência oferecem as marcas de um vinho de alta qualidade.


A safra anterior recebeu 90 Pontos por Robert Parker, a safra 2020 ainda não foi avaliada, mas segue o mesmo padrão criterioso de qualidade e excelência.


91 Pontos - Alykhan Karim - CEO Sonoma


91 Pontos - Revista Adega

História

Datada do Século XVI, a Casa Covela foi formada pelas ruínas de um solar renascentista. Os lagares e a capela são originais e testemunham a importância histórica desta quinta.


Em tempos mais recentes, a Covela pertenceu a Manoel de Oliveira, um dos mais importantes cineastas europeus da metade do século passado até à atualidade.


Além da casa principal e da adega, desenhadas e ampliadas pelo cineasta durante os anos 50, a Quinta de Covela possui três casas assinadas por José Paulo dos Santos, um dos mais conceituados arquitetos de Portugal.

Gustavo Jazra

Curador(a)

Gustavo Jazra
Encontramos outros produtos que você pode gostar!
Whats App Message