CHÂTEAU MARGAUX PREMIER GRAND CRU CLASSÉ MARGAUX AOC 2017

Bordeaux, França
Bordeaux, França

CHÂTEAU MARGAUX PREMIER GRAND CRU CLASSÉ MARGAUX AOC 2017

Um dos maiores Margaux da última década, foi avaliado com 99 Pontos e ovacionado pela crítica especializada. “Um dos destaques do ano”, segundo Jeb Dunnuck.

Selos e premiações

  • JD 98
  • JS 99
  • RP 98
  • V 97
  • WE 97

Harmonize com

  • CarnesCarnes
  • QueijosQueijos

Melhor custo/benefício

Quantidade
Vendido e entregue por: Sonoma Market

Teor Alcoólico

13.50%

Descanso

120 min

Temperatura

18.00 °C

Uva/Corte

  • Cabernet Franc
  • Cabernet Sauvignon
  • Merlot
  • Petit Verdot

Sobre o produto

Nesta safra o majestoso e icônico Château Margaux, que é uma das grifes do mundo dos vinhos, se destacou e produziu um dos melhores vinhos da safra e da propriedade na última década.

O vinho foi ovacionado pela crítica especializada, levando 99 Pontos e arrancando elogios como “deslumbrante”, “maravilhoso” e “profundo”.

Jovem, já oferece aromas sedutores de creme de cassis, licor de groselha, mirtilo maduro, lavanda, alcaçuz, café recém moído, chá rooibos, terra úmida, tabaco e especiarias. No paladar, tem corpo médio a encorpado, núcleo frutado generoso, taninos deliciosamente aveludados que passam agraciando a boca, acidez mineral fresca e final lindamente longo.

Grande safra para o Château Margaux! E isso é só o começo!

Certamente o vinho segue amadurecendo e evoluindo muito bem ao longo das próximas duas ou três décadas na adega. Se for abri-lo agora, não deixe de decantá-lo por 2 horas e servi-lo ao lado dos pratos mais deslumbrantes que puder. Sugerimos carré de cordeiro ao molho de hortelã, ossobuco com polenta trufada ou uma massa fresca com trufas raladas na hora.

99 Pontos - James Suckling

Há maturidade e opulência neste vinho, de uma maneira quase exótica e ousada. Frutas vermelhas esmagadas com chocolate e especiarias. Subtons florais e de cashmere. Ele começa lentamente e desliza pelo paladar com taninos lindamente polidos e uma nota salina e mineral nos taninos longos e prolongados. Realmente brilhante. Muito elegante. Bem estruturado. Experimente após 2025.

98 Pontos - Robert Parker’s Wine Advocate

O Chateau Margaux de 2017 é um corte de 89% Cabernet Sauvignon, 8% Merlot, 2% Cabernet Franc e 1% Petit Verdot. De cor vermelho-rubi profundo, é preciso um pouco de tempo para revelar notas sedutoras de licor de groselha, bolo Floresta Negra e framboesas negras, com sugestões de violetas cristalizadas, terra arada, folhas caídas, alcaçuz e café espresso, além de nuances de matagal e chá de roseira. De corpo médio, a elegância e a finesse no paladar são simplesmente deslumbrantes, exalando uma intensidade silenciosa de frutas pretas frescas, camadas com nuances florais e terrosas tão sutis. Possui uma textura suave e aveludada, com um frescor perfeitamente equilibrado para sustentar os sabores densos, terminando longo e perfumado. Maravilhoso!

98 Pontos - Jeb Dunnuck

Apesar de Margaux ser uma região ligeiramente mais desafiadora em 2017, no Médoc, esta propriedade produziu um incrível Château Margaux de 2017 que está inquestionavelmente no mesmo patamar que o de 2015 e 2016, o que é dizer algo notável. Baseado em 89% de Cabernet Sauvignon, 8% de Merlot, 2% de Cabernet Franc e 1% de Petit Verdot, representando uma seleção rigorosa de apenas 22% da produção total, ele revela uma tonalidade púrpura/rubi profunda, juntamente com notas impressionantes de creme de cassis, mirtilos, violetas esmagadas, tabaco não defumado e especiarias asiáticas. Com taninos impecáveis, corpo médio a encorpado, concentração brilhante e um final magnífico, ele é facilmente um dos destaques do ano. Já está deslumbrante, mas recomenda-se envelhecê-lo por 7-8 anos em garrafa. Ele deve se manter esplêndido por 20-25 anos em adega refrigerada.

97 Pontos - Vinous

Um dos grandes destaques da margem esquerda, o Margaux 2017 é magnífico. Aumentando em intensidade, o 2017 exala classe desde o primeiro gole. Margaux é frequentemente um vinho de charme e sedução, e o 2017 não é nada disso. No lugar, é escuro, sombrio e misterioso, com camadas de tom sépia e nuances que se abrem com o tempo na taça. A Cabernet Sauvignon, colhida 5 dias depois da primeira previsão, é extremamente proeminente. O 2017 vai precisar de muitos anos para chegar a seu melhor, mas é um vinho muito promissor. Uau! - Antonio Galloni

97 Pontos - Wine Enthusiast

Amostra do barril. Há uma estrutura firme e tânica aqui, embora certamente não tire o foco da fruta concentrada. Este vinho é intenso, repleto de groselha preta e caráter muito frutado. Tanto a fruta quanto a estrutura estão em perfeita harmonia e equilíbrio. É um corte excelente. Beba a partir de 2025. - Roger Voss

História

La Mothe de Margaux existia como uma propriedade distinta no século XII e foi criada como uma propriedade vinícola na década de 1570, quando os agricultores do Médoc começaram a abandonar as culturas de cereais em favor das vinhas. Em 1705, o London Gazette anunciou o primeiro leilão de 230 barris de "Margose", e em 1787, Thomas Jefferson fez sua famosa visita a Bordeaux e identificou Margaux como um dos "quatro vinhedos de primeira qualidade".

Em 1800, a propriedade ocupava 265 hectares (655 acres) com um terço plantado com vinha, situação que permanece até hoje. O icônico château neopalladiano, apelidado de "O Versalhes do Médoc", foi construído no início de 1800 para corresponder à reputação do vinhedo.

Em 1977, o Château Margaux foi comprado pelo comerciante de cereais nascido na Grécia e dono de uma rede de supermercados, André Mentzepoulos. Em um momento de crise econômica, ele iniciou um grande programa de investimentos, que foi continuado após sua morte em 1980 por sua filha Corinne e pelo enólogo Paul Pontallier (que ingressou em 1983). Essa revisão permitiu que Margaux se beneficiasse totalmente das melhoras econômicas globais e da excelente safra de 1982.

O Château Margaux é uma das vinícolas mais famosas de Bordeaux, localizada a leste da própria Margaux, no Médoc. Junto com Lafite, Latour e Haut-Brion, foi classificado como um Premier Grand Cru Classé na classificação original de Bordeaux de 1855 do Médoc.

Geralmente, Margaux é considerado o mais elegante dos Premier Grand Cru Classé e é consistentemente um dos vinhos mais caros do mundo. O corte dominante de Cabernet Sauvignon é complementado com pequenas porções de Merlot, Petit Verdot e Cabernet Franc.

Whats App Message