LA SORTE AMARONE DELLA VALPOLICELLA DOCG 2019

Valpolicella, Itália
Valpolicella, Itália

LA SORTE AMARONE DELLA VALPOLICELLA DOCG 2019

Um Amarone italianíssimo de batismo, muito bem feito, e exclusivo para o mercado brasileiro.

Harmonize com

  • CarnesCarnes
  • QueijosQueijos
  • NutsNuts

Melhor custo/benefício

Quantidade
Vendido e entregue por: Sonoma Market

Teor Alcoólico

15.70%

Descanso

30 min

Temperatura

18.00 °C

Uva/Corte

  • Corvina
  • Rondinella
  • Corvinone

Sobre o produto

Quando se pensa em Amarone, logo vem à mente um forte amargor (amaro) e dulçor marcante nos aromas, arrematados por um corpo intenso e alto teor alcoólico. Esta receita da Cantina di Negrar, em Valpolicella, chega com exclusividade ao Brasil, como parte da linha La Sorte, com a missão de adular os paladares nacionais para este grande clássico veronese.

Com esta proposta, a cantina apresenta um exemplar que é o meio termo entre o Amarone clássico (feito com o corte tradicional de Corvina, Corvinona e Rondinella), italianíssimo, mas com uma abordagem mais adaptada. Porém, não menos italiano.

Gaetano Dall’Ora, um dos fundadores de Negrar, participou diretamente do batismo da bebida em 1936, quando Adelino Lucchese, enólogo da Villa Novare (atual Villa Mosconi Bertani) cunhou o termo Amarone. Gaetano inclusive declarado, ao provar o vinho: “Este não é um Amaro (amargo), é um Amarone”. Apesar da criação do termo em 1936, o Amarone só começou a ser comercializado sob esse nome a partir da metade do século XX.

Em 1990, foi criada a Denominação de Origem Controlada (D.O.C.) de Amarone della Valpolicella, sendo elevada a uma Denominação de Origem Controlada e Garantida (D.O.C.G.) em 2009.

Poucos anos depois Negrar produz uma safra que se destaca das demais e ganha este novo rótulo na linha La Sorte, que, no nariz, não apresenta nada de doçura e pende para o mineral e o salino, com aromas de pimenta jalapeño.

Médio para encorpado, se apresenta levemente licoroso em boca, onde mostra toda a personalidade do Amarone, com excelente acidez e sabores de uva-passa, figo e tâmara. Um vinho lindo, nada enjoativo e macio no paladar mesmo com 15,7% de álcool.

Harmonização ideal para aperitivos, queijos e mix de castanhas. Mas pode ser pareado com carnes vermelhas.

História

Registros demonstram que a região de Valpolicella, no Vêneto, produzia vinhos desde a época do Império Romano, dentre eles o vinho de sobremesa Recioto della Valpolicella, estrela da produção.

Reza a lenda que, no início do século XX, um barril de Recioto foi esquecido, fermentando por mais tempo do que devia. O resultado foi um vinho seco, perdendo a doçura do Recioto. Ao experimentar esse vinho, em 1936, o enólogo Gaetano Dall’Ora o teria batizado como Amarone, fazendo referência ao leve amargor da bebida.

Três anos antes, Gaetano fundava a Cantina di Negrar, com outros cinco amigos na Villa Mosconi, na comuna Negrar, no Vêneto, Nordeste da Itália.

Atualmente, possui mais de 700 hectares de vinhedos, a maior parte localizada na região do Valpolicella Classico.

Whats App Message