LA SORTE VALPOLICELLA RIPASSO SUPERIORE DOC 2020

Valpolicella, Itália
Valpolicella, Itália

LA SORTE VALPOLICELLA RIPASSO SUPERIORE DOC 2020

Um Valpolicella para apresentar a região com estilo e ótimo valor para iniciantes e iniciados

Harmonize com

  • CarnesCarnes
  • MassasMassas
  • VegetarianosVegetarianos
  • QueijosQueijos
  • NutsNuts

Melhor custo/benefício

Quantidade
Vendido e entregue por: Sonoma Market

Teor Alcoólico

12.00%

Temperatura

8.00 °C

Uva/Corte

  • Corvina
  • Rondinella
  • Corvinone

Sobre o produto

A sorte desta linha de vinhos do Vêneto da cooperativa Cantina di Negrar produzida exclusivamente para o mercado brasileiro não tem nada a ver com o acaso. La Sorte é o caminho a ser trilhado até um determinado destino. Aqui, a finalidade é de capturar os terroirs do Vêneto, neste caso específico da região de denominação de origem controlada de Valpolicella, famosa pelo seu Amarone.

Neste tinto, o corte é o clássico do Amarone: Corvina, Corvinone e Rondinella. Dispensa adição de sulfitos, devido ao processo de dupla fermentação e, portantom baixa intervenção, porduzindo sulfitos naturais.

Possui um buquê de aromas fascinantes. Toffee, caramelo e baunilha logo abrem para um nariz profundo de uva-passa, com terciários de tosta e de fruta fresca de café.

Em boca, exala complexidade, com muita estrutura tânica, excelente acidez. Um Ripasso sério, muito gostoso, com frutas vermelhas frescas agregando muito dulçor.

Para harmonizar, pode esbanjar na criatividade: desde ocasiões informais como um churrasco até a banquetes, com grandes peças centrais de carne, como paleta de cordeiro ou um turnedô de filé-mignon, como pareado a um rosbife de final de semana em família.

História

Registros demonstram que a região de Valpolicella, no Vêneto, produzia vinhos desde a época do Império Romano, dentre eles o vinho de sobremesa Recioto della Valpolicella, estrela da produção.

Reza a lenda que, no início do século XX, um barril de Recioto foi esquecido, fermentando por mais tempo do que devia. O resultado foi um vinho seco, perdendo a doçura do Recioto. Ao experimentar esse vinho, em 1936, o enólogo Gaetano Dall’Ora o teria batizado como Amarone, fazendo referência ao leve amargor da bebida.

Três anos antes, Gaetano fundava a Cantina di Negrar, com outros cinco amigos na Villa Mosconi, na comuna Negrar, no Vêneto, Nordeste da Itália.

Atualmente, possui mais de 700 hectares de vinhedos, a maior parte localizada na região do Valpolicella Classico. Trata-se de uma cooperativa que desenvolve o trabalho de forma artesanal e com respeito ao meio ambiente e a biodiversidade.

Whats App Message