CARTUXA COLHEITA TINTO 2018

Alentejo, Portugal
Alentejo, Portugal

CARTUXA COLHEITA TINTO 2018

Expressivo e encorpado, um clássico do Alentejo assinado pela renomada família Eugénio de Almeida. Imperdível!

Harmonize com

  • CarnesCarnes
  • MassasMassas
  • VegetarianosVegetarianos
  • ÁrabeÁrabe
  • AvesAves

Avise-me

Teor Alcoólico

14.00%

Tempo de Barrica

12 meses

Temperatura

16.00 °C

Uva/Corte

  • Aragonêz
  • Alicante Bouschet
  • Trincadeira

Sobre o produto

Um verdadeiro clássico da viticultura do Alentejo, o mítico Cartuxa Tinto foi elaborado pela primeira vez em 1986.

Seu nome é referência aos monges Cartuxos que, entre 1598 e 2019, levaram uma vida solitária de oração no Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli, em Évora, no coração do Alentejo.

Foi nesse terroir especial que a Fundação Eugénio de Almeida se estabeleceu e começou a elaboração dos seus incríveis vinhos, dentre eles o Cartuxa aqui destacado e também o lendário Pêra-manca.

Blend de Alicante Bouschet, Aragonez, Castelão e Trincadeira, este tinto amadureceu por 12 meses em tonéis e barricas de carvalho francês e mais 12 em garrafa antes de ser comercializado.

Em taça, apresenta uma linda cor vermelha granada e oferece aromas intensos de frutas silvestres maduras, opulentas, mesclados a nuances de tabaco e especiarias.

No paladar é envolvente e encorpado, sem deixar de lado uma expressão refinada com taninos maduros, volumosos e polidos, além de uma acidez vivaz que indica que este vinho seguirá evoluindo muito bem ao longo dos próximos 10 anos.

Harmoniza perfeitamente com arroz de pato, ragu de costela, galeto recheado com farofa de bacon e uma fumegante lasanha de berinjela.

História

A Adega Cartuxa remete à família Eugénio de Almeida, uma das mais influentes famílias portuguesas do século XIX. Hoje, faz parte da Fundação Eugénio de Almeida, fundada em 1963 por Vasco Maria, no Alentejo. Na época, doou todo o seu patrimônio à instituição com a missão de promover o desenvolvimento cultural, educativo, social e espiritual na região de Évora.

Ao todo, são mais de 600 hectares de vinhas nas localidades de Pinheiros, Casito, Álamo de Cima, Álamo da Horta e Quinta de Valbom. Entre os vinhos mais emblemáticos, destacam-se o Cartuxa e o Pêra-Manca. A Fundação ainda se destaca pela produção de excepcionais azeites de oliva.

Whats App Message